segunda-feira, 16 de agosto de 2010

A Timidez na ótica da Psicologia

Conceito:

A timidez é um traço de comportamento verificado desde a infância e tende a se apresentar de maneira estável por toda a vida. Dependendo da reação da criança diante de pessoas e situações, elas são consideradas "Tímidas" ou "Sociáveis".

Partindo desse conceito, já se sabe que a timidez é verificada desde a infância. Se não estimulada com situações desconhecidas, uma simples timidez patológica pode se tornar uma fobia social grave, podendo bloquear a pessoa inclusive em contextos familiares.

Os concomitantes sintomas da timidez (o rubor, a gagueira, o tremor, o suor, etc) aumentam a emoção do indivíduo e obrigam-no a retrair-se ainda mais, muito embora a pessoa tímida pode, também apresentar atitudes inteiramente opostas que são maneiras de esconder a sua timidez como o exibicionismo.

INTROVERTIDO X TÍMIDO

Muitos consideram estas palavras como sinônimas uma da outra. Entretanto:
  • O Introvertido __ procura a solidão, o isolamento.
  • O Tímido __ não teme o contato social; ao contrário, ele deseja a companhia de outros. O problema é que ele se considera incapaz de manter uma relação social
COMPONENTES RECONHECIDOS NA TIMIDEZ
  • O Afetivo: Refere-se às emoções típicas experimentadas pelos tímidos nas situações sociais, como: ansiedade, confusão, embaraço e vergonha, acompanhadaspor sensações psicofisiológicas como tensão muscular, batimento cardíaco acelerado e um "aperto" no estômago.
  • O Cognitivo: Refere-se à excessiva atenção dada aos julgamentos dos outros. O tímido, por si mesmo, se autoavalia negativamente se perguntando ou se autodefinindo, por exemplo, com expressões do tipo: "Só disse bobagens.", "Todos estão me olhando e me avaliando.", " não gostaram do que eu disse (fiz).", etc. O tímido também tem um sistema irracional de convicções como: "Esta noite ninguém me notará, ninguém me achará interessante.".
Estes são os modos típicos de raciocinar das pessoas tímidas, e o resultado é uma acentuada inibição do comportamento que consiste em evitar ativamente os contextos sociais e se manifesta no olhar que se desvia, na sistemática recusa a encontros sociais e no isolamento em geral.
Tudo isso, evidentemente, pode prejudicar a formação de relacionamentos e a obtenção de objetivos acadêmicos e profissionais.
AS CAUSAS DA TIMIDEZ
  • Fatores Familiares: Incluem, por um lado, o divórcio dos pais, violências familiares e adoção por uma nova família e, por outro lado, aspectos ligados à relação entre pais e filhos, como uma atitude superprotetora ou excessivamente severa por parte dos pais (ou de um dos pais) ou a ausência destes.
  • Fatores Psicofísicos: Incluem, por exemplo, a inflexibilidade da própria timidez como "Sou assim mesmo, sempre fui tímido.", problemas físicos ou imaginários como acne ou obesidade, uma suposta carência de dotes atléticos ou sexuais, ou ainda o fato de haver sido vítima de sistemáticas violências (verbais, psicológicas, físicas ou sexuais).
  • Fatores Raciais: Por exemplo, o pertencimento a etnia minoritária.
  • Fatores Culturais: Por exemplo, a falta de uma cultura adequada.
Esses fatores podem ser considerados:

INTRAPESSOAIS ou INTERPESSOAIS
  • Fatores Intrapessoais: Referem-se aos estilos de pensamento que tendem a fazer com que a pessoa crie uma imagem negativa de si: Ela se culpa por tudo que não dá certo ou se sente estúpida, nervosa ou deprimida quando em companhia ainda que sem motivos.
  • Fatores Interpessoais: Dizem respeito à dificuldade de interagir ou manter conversas com os outros: a pessoa fica embaraçada e envergonhada em situações sociais e acaba por evitá-las totalmente.

COMO ENFRENTAR A TIMIDEZ
Muitos tímidos estão efetivamente empenhados em superar a timidez. A estratégia mais utilizada pelos tímidos e que que tem dado certo é a Extroversão Forçada.


A Extroversão Forçada consiste em obrigar-se a frequentar locais públicos e procurar a presença de outros. Os terapeutas tentam fazer o paciente aceitar seu próprio modo de ser, focando os problemas fundamentais que desencadeiam a ansiedade.
Os profissionais, em outro caso, podem ensinar a iniciar um discurso partindo de uma frase divertida, para que o orador estabeleça uma relação com as pessoas e não com um público anônimo.
Isso tudo, nada mais é que um treinamento para a pessoa descentrar-se e não se ver com seus próprios olhos, mas com os olhos dos outros que são, paradoxalmente, muito menos severo. Nenhum grupo social vê de forma particularmente negativa a pessoa que fica vermelha quando fala; embora os que enrubescem pensam que isso tem conotação negativa, isso não é verdade.
REFERÊNCIAS
PECONARA, Rossana. As máscaras da timidez. Revista Mente e Cérebro, São Paulo, n. 147, p. 26-31, abr. 2005.
TELES, Maria Luiza Silveira. Psicodinâmica do desenvolvimento humano: uma introdução à psicologia da educação. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 168.

domingo, 8 de agosto de 2010

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - SNCT 2010

Ciência para o Desenvolvimento Sustentável




Neste ano de 2010, o tema proposto pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) através de ideias e sugestões propostas pelas Comissão Nacional e Comissões Estaduais de Organização e Coordenação da SNCT é: Ciência para o Desenvolvimento Sustentável. Em reuniões realizadas no nosso Estado, Pernambuco, estão sob a Coordenação Geral do Secretário e Prof. Dr. Francisco Luiz, Secretário Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) os Coordenadores de pólos da SNCT, entre eles, o Prof. Emilson Martiniano, trabalhando a partir de reuniões administrativas, pedagógicas e de planejamento na SBPC para o sucesso do evento que será realizado entre os dias 18 a 24 de outubro de 2010 (nada impedindo, entretanto, que alguns pólos, desde que de acordo com os Coordenadores de pólos junto à Coordenação Geral da SNCT ampliem esta agenda por todo o ano de 2010).


São convidadas Unidades de Ensino, Instituições de Pesquisas, ONGs, Secretarias de Saúde, de Educação, entre outros órgãos a procurarem os Coordenadores para programarem-se e elaborarem suas apresentações para o desenvolvimento da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

O Prof. Emilson Martiniano, Coordenador da SNCT no Pólo da Zona da Mata de Pernambuco está organizando mais uma vez em Aliança/PE o evento de utilidade pública para a sociedade através do seu Projeto Didático "XIII FEIRA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL" em parceria com a Prefeitura Municipal da Aliança e suas Secretarias (de Saúde, de Educação, de Infra-Estrutura, de Obras e Viação, etc), o Governo Federal, através do MCT, o Governo do Estado de Pernambuco através da Fundação de Apoio à Pesquisa Científica de Pernambuco (FACEPE) e da Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE), a Central de Transplantes de Órgãos de Pernambuco, o Detran/PE, com a Turma do FomFom, entre outros parceiros, nas instalações físicas do COLÉGIO E CURSO BENÍCIO CORREIA(CCBC), a mesma Escola que sediou a SNCT/2009 na Zona da Mata de Pernambuco com grande êxito de público, encerrando as atividades do ano 2009 em Pernambuco, e que fica localizada à Rua Luiz Cavalcante de Melo, 170 - Centro - Aliança/PE.

A culminância do Projeto Didático "XIII FEIRA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL" acontecerá nos dias 16 e 17 de novembro de 2010, seguindo o seguinte programa:

> Dia 16/11, às 13h: Abertura da SNCT/2010 com uma Palestra com o Prof. Dr. Carlos Miranda (DEINFO/UFPE).

> dia 17/11: Exposição de Pesquisas Científicas e Projetos Pedagógicos:

  • das 8h às 11h;

  • das 13h30 às 16h30;

  • das 16h às 21h: últimas apresentações e encerramento do evento.


Algumas imagens da Edição da SNCT2009 você vê agora:





Prof. Emilson Martiniano faz a abertura da SNCT/2009 na XII Feira de Ciência, Tecnologia e Cidadania.










Direção do CCBC: Profa. Eliane Xisto (Secretária), Profa. Eliane Felix (Diretora) e Prof. Emilson Martiniano (Coordenador Pedagógico).


Prof. Emilson Martiniano faz cerimônia oficial pela SNCT 2009 junto às autoridades presentes: Prof. Zenildo Pereira (secretário de Educação de Aliança/PE), Sr. Araújo Neto (Vereador Presidente de Aliança), Prof. Dr. Francisco Luiz (Coordenador Geral da SNCT/PE e Secretário Regional da SBPC), Profa. Ana Paula (Secretária da SBPC/PE), Profa. Eliane Felix (Diretora) do CCBC), Profa. Cidinha (UEPA) e o Sr. Assuero Vasconcelos (vereador de Aliança), o Sr. Leonardo Jordão (Presidente da Empresa Mídias Educativas) entre outros.


Prof. Dr. Francisco Luiz (Secretário Regional da SBPC e Coordenador Estadual da SNCT/2009) faz seu pronunciamento de incentivo e admiração pela ciência e pela tecnologia em favor da cidadania.

Prof. Dr. Francisco Luiz comenta a participação e a parceria da Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE) ao fornecer banners de figuras importantes para a ciência no Estado.













Parte do público que visitou as exposições da culminância do Projeto Didático "XII Feira de Ciência, Tecnologia e Cidadania" do CCBC

O DETRAN/PE, parceiro do CCBC na SNCT 2009, através de Cirena e Tio Buzina de A Turma do FomFom, deu a sua colaboração de civismo e responsabilidade no trânsito.







Cirena e Tio Buzina fazem a festa com as crianças do CCBC e da comunidade visitante em geral, ensinando-as a utilizarem a ciência e a tecnologia no trânsito com responsabilidade.

Alunos do CCBC, com o apoio da Central de Transplante de Órgãos de Pernambuco na pessoa da Dra. Vânia Soares e acadêmicos do ramo da Saúde da Universidade Universo, incentivam a doação de órgãos dando esclarecimentos e quebrando tabus.
















A Profa. Glória Niedna com seus alunos e com o apoio da UFPE apresenta como funcionava o Primeiro Balão de Ar Quente do cientista Bartolomeu de Gusmão.


Alunos do CCBC, com o apoio do IPA (instituto de Pesquiosas Agropecuárias de Pernambuco) expõem experiências na agricultura alimentar.
Agora aguardem como serão as atividades da SNCT 2010. Garanto que serão demais.

Não perca! Organize-se, divulgue e particípe!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Viva a Comunicação Eficaz

"Nem tudo que é falado, é ouvido;
Nem tudo que é ouvido, é escutado;
Nem tudo que é escutado, é entendido;
Nem tudo que é entendido, é praticado."
Francisco Teixeira Neto


Originária do Latim "COMMUNICARE", a palavra "COMUNICAR" significa "PÔR EM COMUM".

A comunicação está intrinsecamente relacionada à inteligência, à reflexão, à disciplina, ao senso comum e à velocidade.

Como podemos garantir uma comunicação integrada e eficaz? Dando ênfase à escuta. E qualquer forma de trabalho que venha a contribuir no melhoramento da escuta inclui-se em dois aspectos:

1) Desenvolver a consciência dos fatores que afetam a habilidade de ouvir;

2) Ampliar o tipo de experiência auditiva que pode produzir bons hábitos de ouvir (praticar a escuta).

Segundo o autor Ralph G. Nichols, em seu artigo publicado na Havard Business Review, a habilidade de ouvir pode ajudar a resolver alguns problemas específicos como:
  • Menos papelada: Ouvir processa a comunicação muito mais rápido do que a leitura (a leitura escrita, é claro);
  • Relações humanas: Durante uma apresentação verbal e oral, caso surjam dúvidas ou ambiguidade de ideias e compreensões, no mesmo ato, os conflitos são resolvidos, à medida que o mal entendido pode ser ali mesmo esclarecido quando o mal entendedor não conseguiu captar a essência da informação;
  • Ouvir para vender: Permitir-se ouvir as queixas, as necessidades do cliente (paciente, aluno, etc) facilita e dá ao emissor respaldo para produzir seu discurso, seu diagnóstico, sua aula, etc embasado nessas necessidades do receptor para poder vender o seu produto, uma vez que o alvo, a partir de então, é certo.
Para Cláudia Oliveira, "escrever e ler são formas de comunicação muito mais lentas que falar e ouvir". Segundo ela, "o verdadeiro sucesso de uma boa comunicação não está apenas na forma com a qual você emite sua mensagem, mas na certeza da compreensão plena do receptor e, para isso, é preciso habilidade para decifrar a linguagem simbólica, que nada mais é do que a comunicação involuntária que, em geral, é mais fidedigna que a nossa linguagem programada."

Produção escrita e adaptada do Prof. Emilson Martiniano, extraída da Palestra proferida por Cláudia Oliveira, Consultora da Deloitte, no Congresso Pernambucano de Gestão de Pessoas realizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos - PE, no Centro de Convenções de Pernambuco, nos dias 15, 16 e 17 de outubro de 2003, cuja temática fôra: Gestão com pessoas: os desafios do líder no novo pacto social.
OBS.: Você pode ler o artigo na íntegra. Ele foi publicado pelo Jornal do Commercio de Pernambuco no site: http://www2.uol.com.br/JC/sites/deloitte/artigos/a62.htm  .


sábado, 8 de maio de 2010

Uma homenagem especial às nossas Mães

Dedico a todas as nossas Mães o poema "PRESENTE DE MÃE" - Autor: Prof. Emilson Martiniano

PRESENTE DE MÃE
Prof. Emilson Martiniano


Sei que da simplicidade do teu ser,
O sonho mais comum também devias ter:
Que da fecundação do teu óvulo reprodutor,
Um dia, eu fosse para ti um Fruto de Amor.

Como ordem da vida que DEUS nos dá,
No lugar mais aconchegante em que se pode estar,
A ciência da vida aconteceu
E, logo, fui gerado no que sou eu.

Eu pude sentir o teu calor,
Aquecendo-me e protegendo
Com teus cuidados incessantes,
Fortalecido fui crescendo.

Enfim, o teu Presente surgiu,
Saindo de um escuro seguro,
Possibilitando-te uma alegria irradiante
Após ouvir um choro triunfante...

Era eu quem chorava,
De euforia gritava,
Aos teus braços desejava.
Eras tu quem me amava.

Sou agradecido pelo Dom de Viver.
Nada é tão bom como aqui crescer,
Mas a maior felicidade do viver
é a certeza de viver com você.


Desejo a todas as Mães um Feliz Dia a elas dedicado. Um abração afetuoso!



sexta-feira, 19 de março de 2010

O Ensino Fundamental de 9 anos e suas Legislações

A Lei N. 11.274/2006 que regulamenta o Ensino Fundamental de 9 anos foi sancionada pelo Presidente da República Federativa do Brasil no dia 6/2/2006 e seu objetivo é assegurar a todas as crianças um tempo maior de convívio escolar para que, com maiores oportunidades de aprender, obtenham, com isso, uma aprendizagem de melhor qualidade.
As legislações pertinentes ao tema são: a LEI N. 11.114/2005, a RESOLUÇÃO CNE/CEB N. 3/2005, o PARCER CNE/CEB N. 6/2005, o PARECER CNE/CEB N. 18/2005 e a LEI N. 11.274/2006.
Através da RESOLUÇÃO N. 3, de 3 de agosto de 2005, o CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CNE) e a CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA (CEB) definem normas nacionais para a ampliação do Ensino Fundamental para 9 anos. Deixa explícito no seu Art. 2o que a organização do Ensino Fundamental de 9 anos e da Educação Infantil adotará os seguintes critérios no que tange à faixa etária dos alunos:
  • Educação Infantil/Creche - Faixa etária: até 3 anos de idade
  • Pré-Escola - Faixa etária: 4 e 5 anos de idade
  • Ensino Fundamental de 9 anos - anos iniciais: de 6 a 10 anos de idade (duração de 5 anos)
  • Ensino Fundamental de 9 anos - anos finais: de 11 a 14 anos de idade (duração de 4 anos)

A LEI 11.274, de 6 de fevereiro de 2006, altera a redação dos Arts. 29, 30, 32 e 87 da LEI N. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, dispondo sobre a duração de 9 anos para o Ensino Fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 anos de idade.

Devemos, entretanto, estar atentos para o fato de que a inclusão de crianças de 6 anos de idade não deve significar a antecipação dos conteúdos e atividades que tradicionalmente foram compreendidos como adequados à 1a Série do Ensino Fundamental de 8 anos. Dessa forma, há a necessidade de se construir uma nova estrutura e organização dos conteúdos para essa nova proposta nos sistemas de ensino.

Mais um detalhe: Muitas Unidades de Ensino que já implantaram o Ensino Fundamental de 9 anos, automaticamente, aboliram o Ensino Fundamental de 8 anos. O procedimento não procede. Na verdade, as escolas, ao implantarem o Sistema passam a ter em suas unidades o Ensino Fundamental de 8 anos e o Ensino Fundamental de 9 anos. O que acontece é que ao passo que vão sendo feitas matrículas para o Ensino Fundamental de 9 anos, o de 8 anos vai se extinguindo até chegar à sua totalidade.

Quanto ao Currículo, este será fruto de atenção especial e composto de textos sobre:

  • Currículo e Desenvolvimento Humano;
  • Identidades e Trajetórias dos Educadores e Currículo;
  • Currículo, Conhecimento e Cultura;
  • Currículo e Organização dos Tempos e Espaços Escolares;
  • Currículo e Processos de Aprendizagem;
  • Currículo e Avaliação.

A LEI estabelece ainda que Estados e Municípios e o Distrito Federal terão prazo até 2010 para se adequar à mudança. Atualmente, mais de mil municípios em 12 Estados já adotaram o Ensino Fundamental de 9 anos, atendendo um total de 8,1 milhões de alunos segundo dados preliminares do Censo Escolar 2005. Durante esse período, os sistemas de ensino terão prazo para adaptar-se ao novo modelo de pré-escolas que agora passarão a atender crianças de 4 e 5 anos de idade.

O Ministério de Educação e Cultura recomenda que jogos, danças, contos e brincadeiras espontâneas sejam usadas como instrumentos pedagógicos, respeitando o desenvolvimento cognitivo da criança. Nesse caso, a alfabetização deve ser entendida como um processo que tem hora para principiar, mas não para concluir.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 1996.

BRASIL. Lei n. 11.114 de 16 de maio de 2005. Altera os artigos 30, 32 e 87 da lei 9.394 com o objetivo de tornar obrigatório o início do ensino fundamental aos seis anos de idade. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 2005.

BRASIL. Lei n. 11.274 de 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos artigos 29, 30, 32 e 87 da lei 9.394. Dispõe sobre a duração de nove anos para o ensino fundamental com matrícula obrigatória a partir dos seis anos de idade. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 2006.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n. 1 de 14 de janeiro de 2010. Define diretrizes operacionais para a implantação do ensino fundamental de nove anos. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 2010.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n. 3 de 3 de agosto de 2005. Define normas nacionais para ampliação do ensino fundamental para nove anos. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 2005.

BRASIL. Parecer CNE/CEB n. 6 de 8 de junho de 2005. Estabelece normas nacionais para a ampliação do ensino fundamental de nove anos. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 2005.

BRASIL. Parecer CNE/CEB n. 18 de 15 de setembro de 2005. Orientações para a matrícula de crianças de seis anos de idade no ensino fundamental obrigatório. Diário Oficial da União. Brasília, DF: 2005.

ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Org. Jeanete Beauchamp, Sandra Denise Pagel, Aricélia Ribeiro do Nascimento. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Qual a proposta da Base Curricular Comum (BCC) para as Redes Públicas de Ensino de Pernambuco

O Projeto da Base Curricular Comum de Pernambuco (BCC/PE), iniciado em 2004, foi proposto pela UNDIME/PE, e foi elaborado, conjuntamente, por várias instituições educacionais do Estado de Pernambuco:
  • UNDIME/PE - União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Pernambuco;
  • SEDUC/PE - Secretaria de Educação de Pernambuco;
  • CEE/PE - Conselho Estadual de Educação de Pernambuco;
  • AMUPE - Associação Municipalista de Pernambuco;
  • CNTE/PE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco.
A elaboração da BCC/PE foi resultado de um processo democrático e participativo sob a responsabilidade de gestores das Redes Municipais e Estadual, através da Coordenação do Projeto e das Comissões de Elaboradores, compostas por:
  • Assessores de Universidades e
  • Professores Especialistas em Avaliação Educacional em Língua Portuguesa e Matemática.
Em 2007, foi realizado um Seminário de Atualização incorporando orientações sobre a legislação referente ao Ensino Fundamental incluindo a criança de 6 anos de idade nesse nível de ensino.
OBJETIVOS DA BCC/PE:
Contribuir e orientar os sistemas de ensino na formação e atuação dos professores da Educação Básica e servir como referencial à avaliação do desempenho dos alunos através do Sistema de Avaliação Educacional de Pernambuco (SAEPE).
ESTRATÉGIAS DA BCC/PE:
O documento deve ser conhecido e debatido numa visão coletiva, de forma compartilhada, crítica e transformadora por todos os segmentos sociais da escola.
Essa contribuição deve ser transformada em Cadernos de Complementação Curricular nas áreas específicas do conhecimento. Por isso, a BCC/PE não se constitui num texto definitivo e acabado; ela propõe ser um referencial de aprofundamento da prática pedagógica, uma proposta curricular, moldada por recortes teórico-metodológicos para o contingente de professores que exerce o magistério nas Redes Municipais e Estadual de Pernambuco, que é o interlocutor principal do referido documento. Um detalhe é que a BCC/PE, inicialmente, está contemplando apenas duas áreas do conhecimento: Língua Portuguesa e Matemática.
OBSERVAÇÕES ESPECÍFICAS:
OBS. 1 - Por tentar convergir diferentes realidades e concepções, a formulação de uma base curricular comum é um processo muito complexo.
Uma clara e imprescindível ampliação deverá incluir as demais áreas do conhecimento que fazem parte do sistema escolar.
Esse processo inicial responde a demandas específicas, que têm reivindicado uma maior participação da escola na formação para o uso social da linguagem e dos saberes matemáticos. No entanto, impõe-se o prosseguimento de ações que permitam incorporar à BCC/PE as demais áreas do currículo da Educação Básica.
OBS. 2 - Outra ampliação diz respeito à intenção de serem contempladas pela BCC/PE também a etapa da Educação Infantil e da modalidade da Educação de Jovens e Adultos.
PRESSUPOSTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DA BCC/PE
  • Na elaboração da BCC/PE, a discussão deve focalizar, de início, o paradigma fundamental da proposta com três eixos principais:
  1. a Solidariedade;
  2. o Vínculo social, e
  3. a Cidadania.
  • Nessa discussão, as diretrizes orientadoras da BCC/PE são:
  1. a Identidade;
  2. a Diversidade, e
  3. a Autonomia.
  • A discussão obedece aos seguintes Eixos Metodológicos Mobilizadores dos saberes:
  1. Ensino e aprendizagem;
  2. Competências;
  3. Interdisciplinaridade, e
  4. Contextualização.
  • E também aos Eixos Orientadores da Organização Escolar:
  1. Flexibildade e
  2. Avaliação.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BASE CURRICULAR COMUM PARA AS REDES PÚBLICAS DE ENSINO DE PERNAMBUCO: língua portuguesa. Recife: Secretaria de Educação, 2008. 110p.
BASE CURRICULAR COMUM PARA AS REDES PÚBLICAS DE ENSINO DE PERNAMBUCO: matemática. Recife: Secretaria de Educação, 2008. 134p.

terça-feira, 2 de março de 2010

O que considerar na elaboração do Projeto Político-Pedagógico da sua escola

1) Tanto o Projeto Político Pedagógico (PPP) quanto a Proposta Pedagógica (PP) e o Regimento Escolar (RE) são exigências dos Órgãos de Educação para crescimento, fortalecimento e adesão da Escola aos Planos de Investimento (Lei N. 9.394/96 da LDB).

2) É incubência da Escola:
2.1 - Elaborar e executar sua Proposta Pedagógica (PP) e seu Projeto Político Pedagógico (PPP);
2.2 - Informar aos pais e responsáveis a frequência e o rendimento dos alunos, e a PP e PPP da Escola.

3) É incubência dos professores, alunos, funcionários, pais e/ou responsáveis por alunos e comunidade escolar:
3.1 - Participar da elaboração da PP e do PPP;
3.2 - Elaborar e cumprir o Plano de Trabalho da PP e do PPP.

4) Na elaboração do PPP e da PP, não confundir:
4.1 - O PPP compreende dimensões *Específicas e **Gerais;
4.2 - A PP compreende apenas a dimensão pedagógica (que é uma dimensão geral):
OBS.: Desta forma, estão inclusas no campo do PPP as Dimensões Específicas "Comunitária" e "Administrativa", as Dimensões Gerais "Política", "Cultural" e "Econômica" e a própria PP com a Dimensão "Pedagógica", que é uma dimensão específica.

5) Qual a importância do PPP?
O PPP auxiliará a Escola no seu papel socioeducativo pelo que contempla:
5.1 - Qualidade Formal (sistêmica, orgânica, científica e participação);
5.2 - Qualidade Política (ética);
5.3 - Conquista da Autonomia.

6) Que fatores interferem na elaboração do PPP?
6.1 - Compromisso social da comunidade escolar e comunidade social local;
6.2 - Cultura de Planejamento;
6.3 - Condições objetivas de instâncias, espaços e tempo.

7) Quais exigências fazer à organização para a construção do PPP?
7.1 - Vontade política dos que fazem a Escola;
7.2 - Definição das escolhas da:
7.2.1 - Coordenação Geral do PPP;
7.2.2 - Comissão de Sistematização.

8) O que envolve o PPP na sua elaboração?
A elaboração do PPP envolve três dinâmicas:
8.1 - Dinâmica Individual: Cada segmento - pais, alunos, professores, funcionários - responde a perguntas sobre a Escola;
8.2 - Dinâmica de Grupo: Tarefas são distribuídas para a sistematização das ideias individuais para construção do texto preliminar - considerando as ideias de origem (fidelidade);
8.3 - Dinâmica de Plenário: Os textos são lidos para provocar a discussão e o debate visando ajustes em função da clareza do texto.

9) Quais as etapas de elaboração do PPP?
Deve-se observar as seguintes análises e apuração de informações sobre a Escola:
9.1 - Diagnóstico
9.1.1 - Físico;
9.1.2 - Administrativo e pedagógico;
9.1.3 - Gestão Escolar;
9.1.4 - Desempenho da Escola (índices de evasão, reprovação, distorção idade/série, resultados do IDEB, do SAEPE, etc.);
9.1.5 - Recursos (financeiros, materiais e humanos disponíveis);
9.1.6 - Realidade dos alunos, professores, servidores e comunidade;
9.1.7 - Estratégias de avaliação da organização do trabalho pedagógico;
9.2 - Fundamentação Teórica e Política
9.2.1 - Posicionamento político;
9.2.2 - Posicionamento pedagógico;
9.3 - Metodologia
9.3.1 - Dimensão Pedagógica;
9.3.2 - Dimensão Comunitária;
9.3.3 - Dimensão Administrativa;
9.4 - Estratégias
9.4.1 - Elencar necessidades ou problemas;
9.4.2 - Elencar as metas;
9.4.3 - Elencar os períodos;
9.4.4 - Elencar os responsáveis;
9.5 - Atualização/Monitoramento das Partes do PPP
9.5.1 - Fundamentação Teórica e Política: médio prazo (3 a 4 anos);
9.5.2 - Diagnóstico: anual ou semestral;
9.5.3 - Programação: anual ou semestral;
9.6 - Avaliação e reelaboração do PPP.

10) Qual a estrutura básica para sistematização do PPP?
10.1 - Capa com identificação da Unidade Escolar e do Coordenador Geral do PPP;
10.2 - Folha-de-rosto;
10.3 - Sumário;
10.4 - Justificativa;
10.5 - Metodologia;
10.6 - Fundamentação Teórica e Política;
10.7 - Objetivos Geral e Específicos;
10.8 - Estratégias (Plano de Trabalho);
10.9 - Avaliação;
10.10 - Cronograma;
10.11 - Recursos;
10.12 - Referências Bibliográficas;
10.13 - Anexos (incluir Folha de Aprovação do texto do PPP e da eleição do seu Coordenador Geral.

11) Referências Bibliográficas:

GADOT, Moacir. Projeto político-pedagógico da escola: fundamentos para a sua realização. São Paulo: Cortez, 1997.

GANDIN, Danilo. A prática do planejamento participativo na educação. Porto Alegre: Vozes, 1995.

OLIVEIRA, Beatriz Luz Lima & SILVA, Heliane Gomes da. Um caso de construção coletiva do projeto político-pedagógico. In: Gestão em Rede. Curitiba, n. 88, p. 13-21, set. 2008; Gestão em Rede. Curitiba, n. 89, p. 10-15, out. 2008.

VASCONCELOS, Celso dos Santos. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. São Paulo: Libertad, 2000.

ZANINI, Simone Magalhães Wolff. O papel do projeto político-pedagógico na gestão democrática da escola. In: Gestão em Rede. Curitiba, n. 88, p. 13-21, set. 2008.


segunda-feira, 1 de março de 2010

Proposta Pedagógica: Calendário Sociocultural/2010

Objetivo da Proposta: Subsidiar o educador da Rede Pública e Particular de Ensino, principalmente os da Educação Infantil e Ensino Fundamental I, na sua prática pedagógica, possibilitando melhor planejamento de suas aulas no contexto sociocultural, tomando como ícone o que se comemora diariamente, no curso do processo ensino/aprendizagem, ampliando os conhecimentos do discente em paralelo contextual com o conteúdo formal e curricular da série/modalidade de ensino.

FEVEREIRO/2010

02 - Dia do Agente Fiscal
05 - Dia do Datiloscopista
07 - Dia do Gráfico (Sindicato dos Empregados)
11 - Dia do Zelador;
Dia da Criação da Casa da Moda;
Dia Mundial do Enfermo
13 - Dia Nacional do Ministério Público
14 - Dia da Amizade
16 - Dia do Repórter
Carnaval
17 - Dia de Cinzas
19 - Dia do Esportista
21 - Dia da Conquista do Monte Castelo (1945) - Data festiva do Exército
23 - Dia do Rotaryano
24 - Promulgação da 1a Constituição Republicana (1891)
25 - Dia da Criação do Ministério das Comunicações
27 - Dia dos Idosos
Dia do Agente Fiscal da Receita Federal

MARÇO/2010

01 - Aniversário da Cidade do Rio de Janeiro
02 - Dia Nacional do Turismo
03 - Dia do Meteorologista
05 - Dia do Filatelista Brasileiro
Dia Mundial da Oração (1a sexta-feira do mês)
06 - Dia da Revolução Pernambucana (Carta Magna do Estado de PE)
07 - Dia dos Fuzileiros Navais
08 - Dia Internacional da Mulher
Aniversário da Cidade do Recife/PE
Aniversário da Cidade de Olinda/PE
10 - Dia do Telefone
12 - Dia do Bibliotecário
14 - Dia Nacional da Poesia
Dia dos Animais
15 - Dia da Escola
Dia MUndial do Consumidor
19 - Dia do Carpinteiro
Dia do Marceneiro
20 - Início do Outono
21 - Dia Internacional contra a Discriminação Racial
Dia Universal do Teatro
23 - Dia MUndial da Meteorologia
26 - Dia do Cacau
27 - Dia do Circo
28 - Dia do Diagramador
Dia do Revisor
29 - Dia da Fundação da Cidade de Salvador
31 - Aniversário da Revolução de 1964
Dia da Integração Nacional
Dia da Saúde e Nutrição

ABRIL/2010
01 - Dia da Mentira
02 - Dia do Propagandista
Sexta-feira da Paixão
03 - Aleluia
04 - Páscoa
07 - Dia do Corretor
Dia do Jornalismo
Dia do Médico Legista
Dia Mundial da Saúde
Dia da Fundação da Associação Brasileira de Imprensa (AIB)
Dia da Instituição da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)
08 - Dia do Correio
Dia Mundial do Combate ao Câncer
10 - Dia da Engenharia
11 - Aniversário da Organização Internacional do Trabalho (OIT)
12 - Dia da Intendência
Dia da Obsetriz
13 - Dia do Jovem
Dia do Office-boy
14 - Dia Pan-Americano
15 - Dia Mundial do Desenhista
Dia da Conservação do Solo
18 - Dia de Monteiro Lobato
Dia da Literatura Infantil
19 - Dia do Índio
20 - Dia do Diplomata
21 - Dia de Tiradentes
Dia do Metalúrgico
Dia da Polícia Civil
22 - Dia do Descobrimento do Brasil (1500)
Dia da Força Aérea Brasileira
23 - Dia Mundial do Escoteiro
24 - Dia do Agente de Viagem
Dia Internacional do Jovem Trabalhador
25 - Dia do Contabilista
Dia da Organização das Nações Unidas (ONU)
26 - Dia da 1a Missa no Brasil
Dia do Goleiro
Dia Nacional de Combate à Hipertensão
27 - Dia da Empregada Doméstica
Dia do Sacerdote
28 - Dia da Educação
Dia da Sogra
30 - Dia do Ferroviário
Dia Nacional da Mulher

MAIO/2010

01 - Dia Mundial do Trabalho
Dia do Trabalhador
02 - Dia Nacional do Ex-Combatente
03 - Dia do Sertanejo
Dia do Taquígrafo
05 - Dia Nacional das Comunicações
Dia do Pintor
Dia da Comunidade
07 - Dia do Oftalmologista
Dia do Silêncio
08 - Dia da Vitória
Dia Internacional da Cruz Vermelha
Dia do Artista Plástico
09 - Dia das Mães (2o Domingo do mês)
10 - Dia da Cavalaria
11 - Dia da Integração do Telégrafo no Brasil
12 - Dia Mundial da Enfermeira
Dia da Enfermagem
13 - Dia da Abolição da Escravatura
Dia da Fraternidade Brasileira
Dia do Automóvel
14 - Dia do Seguro
15 - Dia do Assistente Social
Dia do Gerente Bancário
16 - Dia do Gari
17 - Dia Internacional das Telecomunicações
Dia da Constituição
18 - Dia Internacional dos Museus
Dia dos Vidreiros
19 - Dia dos Acadêmicos do Direito
21 - Dia da Língua Nacional
22 - Dia do Apicultor
24 - Dia do Vestibulando
Dia do Café
Dia do Datilógrafo
25 - Dia da Indústria
Dia do Trabalhador Rural
27 - Dia do Profissional Liberal
29 - Dia do Estatístico
Dia do Geógrafo
30 - Dia das Bandeiras
31 - Dia do Comissário de Bordo
Dia do Espírito Santo

JUNHO/2010

01 - Dia de Caxias
Dia da 1a Transmissão de TV no Brasil
03 - Dia Mundial do Administrador Pessoal
Corpus Christ
05 - Dia da Ecologia
Dia Mundial do Meio Ambiente (De 1 a 5: Semana do Meio Ambiente)
07 - Dia da Liberdade de Imprensa
08 - Dia do Citricultor
09 - Dia do Tenista e do Tênis
Dia Nacional de Anchieta
Dia do Porteiro
10 - Dia da Artilharia
Dia da Raça
11 - Dia da Marinha Brasileira
12 - Dia dos Namorados
Dia do Correio Aéreo
13 - Dia de Santo Antônio
Dia do Turista
14 - Dia UNiversal de DEUS
17 - Dia do Funcionário Público Aposentado
18 - Dia do Químico
Dia da Imigração Japonesa
19 - Dia dos Profissionais de Marketing
20 - Dia do Revendedor
21 - Dia da Mídia
Início do Inverno
22 - Dia do Empregador Gráfico
24 - Dia de São João
Dia das Empresas Gráficas
Dia Internacional do Leite
25 - Dia do Imigrante
27 - Dia Nacional do Progresso
28 - Dia da Renovação Espiritual
29 - Dia da Telefonista
Dia de São Pedro e São Paulo
Dia do Pescador

JULHO/2010

01 - Dia da Vacina BCG
02 - Dia do Hospital
Dia do Bombeiro Brasileiro
04 - Dia Internacional do Cooperativismo
06 - Dia da Criação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
08 - Dia do Panificador
09 - Dia do Soldado Constitucionalista
10 - Dia da Pizza
13 - Dia Mundial do Rock
14 - Dia da Liberdade de Pensamento
Dia do Propagandista de Laboratório
15 - Dia Nacional dos Clubes
16 - Dia do Comerciante
17 - Dia do Protetor de Florestas
19 - Dia da Caridade
Dia Nacional do Futebol
20 - Dia do amigo
Dia Internacional da Amizade
Dia da 1a viagem à Lua (1969)
23 - Dia do Guarda Rodoviário
25 - Dia do Motorista
Dia do Escritor
26 - Dia da Vovó
27 - Dia do Motociclista
28 - Dia do Agricultor

AGOSTO/2010

01 - Dia Nacional do Selo
03 - Dia do Tintureiro
05 - Dia Nacional da Saúde
08 - Dia do Padre
Dia dos Bandeirantes
Dia dos Pais (2o Domingo em 2010)
11 - Dia da Consciência Nacional
Dia do Magistrado
Dia do Direito
Dia do Estudante
Dia do Advogado
Dia do Garçom
Dia da Pintura
12 - Dia Nacional das Artes
13 - Dia do Pensamento
Dia do Economista
14 - Dia da Unidade Humana
15 - Dia dos Solteiros
Dia da Informática
19 - Dia Mundial da Fotografia
22 - Dia do Folclore
23 - Dia da Injustiça
24 - Dia da Infância
Dia dos Artistas
25 - Dia do Exército Brasileiro
Dia do Feirante
Dia do Soldado
27 - Dia do Corretor de Imóveis
Dia Nacional do Psicólogo
28 - Dia Nacional dos Bancários
Dia da Avicultura
29 - Dia Nacional de Combate ao Fumo
31 - Dia do Nutricionista

SETEMBRO/2010

01 a 07 - Semana da Pátria Brasileira
02 - Dia Nacional do Biólogo
05 - Dia Oficial da Farmácia
Dia da Amazônia
06 - Dia do Hino Nacional Brasileiro
Dia do Alfaiate
Dia do Barbeiro
07 - Dia da Independência do Brasil
08 - Dia Nacional da Alfabetização
09 - Dia do Administrador
Dia do Médico Veterinário
Dia da Velocidade
10 - Dia da Imprensa
Dia da Fundação do 1o Jornal do Brasil
13 - Dia do Agrônomo
14 - Dia da Cruz
Dia do Frevo
17 - Dia da Compreensão Mundial
18 - Dia dos Símbolos Nacionais Brasileiros
19 - Dia do Teatro
20 - Dia do Funcionário Municipal
Dia do Gaúcho
Dia da Polícia Civil
21 - Dia da Árvore
Dia do Radialista
Dia do Fazendeiro
22 - Dia da Juventude do Brasil
23 - Início da Primavera
Dia do Soldador
26 - Dia Interamericano das Relações Públicas
27 - Dia do Ancião
28 - Dia da Lei do Ventre Livre
29 - Dia do Petróleo
Dia do Professor de Educação Física
30 - Dia do(a) Secretário(a)
Dia Nacional do Jornaleiro
Dia Mundial do Tradutor

OUTUBRO/2010

01 - Dia Panamericano do Vendedor
Dia Nacional do Vereador
03 - Dia Mundial do Dentista
Dia das abelhas
Dia do Latino-Americano
04 - Dia da Natureza
Dia do Cão
Dia do Poeta
Dia de São Francisco de Assis
05 - Dia das Aves
Dia Mundial dos Animais
07 - Dia do Compositor
08 - Dia do Nordestino
11 - Dia do Deficiente Físico
Dia do Teatro Municipal
12 - Dia das Crianças
Dia de N. Sra. Aparecida (Padroeira do Brasil)
Dia do Descobrimento da América
Dia do Mar
Dia do Atletismo
13 - Dia do Fisioterapeuta
14 - Dia Nacional da Pecuária
15 - Dia do Professor
16 - Dia Mundial da Alimentação
Dia da Ciência e Tecnologia
17 - Dia do Eletricista
18 - Dia do Médico
Dia do Pintor
19 - Dia do Securitário
21 - Dia do Contato
23 - Dia da Aviação e do Aviador
24 - Dia da Organização das Nações Unidas (ONU)
25 - Dia da Democracia
Dia do Dentista Brasileiro
Dia do Sapateiro
28 - Dia do Funcionário Público
30 - Dia do Comerciário
Dia do Balconista
31 - Dia do Comissário de Vôo

NOVEMBRO/2010

01 - Dia de todos os Santos
02 - Finados
03 - Dia do Barbeiro
Dia do Cabeleireiro
Dia da Instituição do Direito de Voto para a Mulher (1930)
04 - Dia do Inventor
05 - Dia Mundial do Radioamador
Dia da Ciência
Dia da Cultura
Dia do Cinema Brasileiro
Dia do Técnico em Eletrônica
07 - Dia da Ação Católica
Dia Nacional dos Tribunais de Conta
08 - Dia Mundial do Urbanismo
Dia do Aposentado
09 - Dia do Município
10 - Dia do Trigo
11 - Dia do Armistício
Dia do Soldado Desconhecido
12 - Dia do Supermercado
14 - Dia do Bandeirante
15 - Dia da Proclamação da República do Brasil
Dia do Desporto Amador
Dia Nacional da Alfabetização
19 - Dia da Bandeira
20 - Dia Nacional da Consciência Negra
21 - Dia da Homeopatia
Dia das Saudações
22 - Dia do Músico
Dia Oficial da Música
23 - Dia do Livro
25 - Dia do Doador de Sangue
Dia Internacional contra a Exploração da Mulher
28 - Dia Mundial de Ação de Graça

DEZEMBRO/2010

01 - Dia Mundial de Combate à AIDS
02 - Dia Nacional do Samba
Dia Nacional da Astronomia
Dia Nacional das Relações Públicas
03 - Dia Nacional do Deficiente Físico
04 - Dia do Orientador Educacional
Dia do Pedicuro
Dia Mundial da Propaganda
Dia do Publicitário
Dia Nacional do Ministério Público
08 - Dia da Família
Dia da Justiça
09 - Dia da Criança Defeituosa
Dia do Fonoaudiólogo
Dia do Alcoólatra Recuperado
10 - Dia da Declaração do Direitos Humanos (DDH)
Dia Universal do Palhaço
11 - Dia do Arquiteto
Dia do Engenheiro
Dia do Agrônomo
13 - Dia do Cego
Dia do Ótico
Dia do Marinheiro
16 - Dia do Reservista
19 - Dia do Atleta Profissional
20 - Dia do Mecânico
21 - Dia do Atleta
Dia dos Artistas Profissionais
22 - Início do Verão
23 - Dia do Vizinho
24 - Dia do Órfão
25 - Natal
26 - Dia da Lembrança
28 - Dia do Salva Vidas
31 - Reveillon
Dia de São Silvestre





sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Orientação Didática: Deve-se dar atenção ao aluno fora do âmbito escolar?

Você costuma dar atenção aos seus alunos fora do âmbito da escola?
Caso os encontrasse em outro ambiente, lhes devotaria a mesma consideração?
Os adolescentes e as crianças percebem a diferença entre Professores e Educadores. Os primeiros são os que se preocupam apenas com os conteúdos didáticos, e os últimos são aqueles que vão além do currículo. São os que se identificam com os educandos, demonstrando simpatia e constante desejo de auxiliá-los em suas dificuldades.
O ensino é um processo contínuo. A tarefa educacional do professor não acaba ao final da aula de cada dia. Na classe, ele apenas realiza a fase normal do ensino.
Por isso, é importante que o professor se torne acessível aos seus alunos, mantendo com eles boa convivência e franco diálogo, mesmo que para isso, ele tenha de sacrificar alguns preciosos momentos de seu descanso.
Em suma, o professor convicto de sua chamada nunca limita o espaço para ensinar. Antes estabelece novas oportunidades de ensino, ambientes e motivações. Onde estiver o aluno, aí estará o professor... para esclarecer-lhe as dúvidas e ajudá-lo em seus anseios.