quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Programa "Aprender Mais" visa fortalecer o rendimento escolar dos alunos da Rede Pública Estadual de Pernambuco

     Estando na Escola Coronel Luiz Ignácio Pessoa de Mello, as aulas do Prof. Emilson Martiniano  estão embasadas na proposta do Programa Aprender Mais da Secretaria de Educação de Pernambuco. Com foco na Matriz de Referência de Língua Portuguesa do Sistema de Avaliação Educacional de Pernambuco (SAEPE), as aulas têm por fundamento o estudo de gêneros textuais.
     A ideia é que, tomando por base as informações do  SAEPE e de um diagnóstico dos estudantes, sejam desenvolvidas atividades pedagógicas, a partir de dinâmicas de sala de aula que possibilitem ao estudante construir o seu próprio conhecimento. A problematização de situações didáticas que estimulem a compreensão, interpretação, análise e síntese das novas aprendizagens, priorizando as diferentes linguagens, devem ser desenvolvidas com dinâmicas diversificadas, utilizando materiais existentes na escola.
     Assim sendo, o Prof. Emilson Martiniano, no limiar da execução do programa, vem desenvolvendo as aulas sob estartégias de leitura,  a partir da sondagem dos conhecimentos prévios dos alunos, buscando permitir ao aluno ser sujeito de sua aprendizagem.
      Na obra elaborada pela SEDUC/PE é possível acompanhar quais conteúdos devem ser ministrados no decorrer da execução do Programa. Propõe-se aqui não apresentar um apontamento concreto, mas um subsídio de pesquisa que possa contribuir para que os alunos, numa possibilidade de dúvida, possam consultar e saná-la.

REFERÊNCIAS

PERNAMBUCO, Secretaria de Educação. Aprender Mais: língua portuguesa. Anos Finais do Ensino Fundamental. edição 2011. Recife: SE, 2011. 51p.

PERNAMBUCO, Secretaria de Educação. Aprender Mais: língua portuguesa. Ensino Médio. edição 2011. Recife:SE, 2011. 54p.



    segunda-feira, 3 de outubro de 2011

    Ministro da Educação anuncia que cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação serão gratuitos mesmo em Universidades e Faculdades Privadas

          Na tarde da última sexta-feira, dia 30 de setembro de 2011, no 7º Congresso "Inclusão: Desafio Contemporâneo para a Educação Infantil" promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Unidades de Educação Infantil da Rede Direta e Autárquica do Município de São Paulo (Sedin), o Ministro da Educação, Fernando Hadadad, anunciou que cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrados e doutorados) em educação, mesmo em instituições privadas, serão gratuitos.

         Sobre esse anúncio, Haddad disse ainda que deve assinar já nos próximos dias uma portaria que dará a esses cursos o mesmo mecanismo do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Os professores que decidirem fazer o curso e trabalharem nas redes públicas terão a dívida saldada automaticamente.

       O Ministro da Educação admitiu que trabalha com dificuldade em um modelo de avaliação para a educação infantil. “Faço um desafio para vocês. Me mostrem os casos de sucesso e de eficiência para que possamos tabular esses valores.”

       Haddad creditou ao presidente Lula a inclusão da educação infantil no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), além do fornecimento de merenda, transporte escolar, biblioteca e livro didático. “O que mais me impressionou quando eu cheguei ao Ministério da Educação foi a constatação de que não só não havia mecanismos de financiamento, como não se dava importância a um ciclo tão importante da formação da criança.”

         O ministro lembrou da emenda constitucional que tornou obrigatória a educação dos quatro aos 17 anos e qualificou o Programa de Reestruturação da Rede Escolar Pública (ProInfância) como o maior programa de expansão da rede física educacional. “A presidenta Dilma conveniou 4 mil creches e destinou recursos para 6.400 creches em todo o pais, 172 apenas na cidade de São Paulo. Além disso, o Ministério da Educação vai se responsabilizar pelo primeiro ano de custeio antes do censo” – concluiu.